EM PAUTA - A NOVA ORTOGRAFIA

O que você deve conhecer a respeito das novas regras ortográficas?  Na interessante matéria que reproduzimos, a seguir, a Revista Nova Escola na edição de jan/fev 2009, assinada pelas jornalistas Beatriz Santomauro e Beatriz Vichessi, apresenta a razão maior dessa unificação.

Quais as regras que estão em vigor? Essas e outras perguntas estão respondidas na reportagem. Selecionamos alguns trechos e sugerimos consultar o site www.novaescola.org.br para quem desejar conhecer mais. Boa leitura! E boa escrita também!


Acordo ortográfico – O que muda na língua
Uma nova grafia

As regras para a unificação da forma de escrever em português já estão em vigor. Professores de todas as disciplinas, preparem-se!


Beatriz Santomauro e Beatriz Vichessi

Os romances editados no Brasil raramente são lidos em Portugal. Da mesma forma, as produções literárias de lá têm pouco mercado por aqui. Em Moçambique e Angola, países africanos que também falam o português, as edições impressas tanto no Brasil como em Portugal não circulam entre a população. Apesar de todos esses países usarem o mesmo idioma, nem sempre é fácil para o habitante de um deles entender o texto escrito no outro – porque, além das diferenças culturais, existem as variações na maneira de grafar as palavras, aqui e do outro lado do Atlântico.

A unificação da ortografia da Língua Portuguesa, anunciada com alarde pelo Ministério da Educação (MEC) no ano passado, promete acabar com parte desse cenário de desencontros. A partir do mês de janeiro, os habitantes de quatro nações (Brasil, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Portugal) passam a seguir as mesmas regras para escrever, definidas por um novo acordo ortográfico. Os outros quatro integrantes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (Angola, Guiné-Bissau, Moçambique e Timor Leste) aguardam a aprovação formal do tratado para também adotar as regras – o que deve ocorrer nos próximos meses.

O governo brasileiro definiu que as mudanças entraram em vigor no dia 1º de janeiro de 2009 – mas o uso da grafia antiga (em livros e outras publicações, além de vestibulares, provas e concursos públicos) está liberado até o fim de 2012. Os especialistas acreditam que esses quatro anos são mais do que suficientes para que nós, usuários da língua, nos acostumemos às novidades. Calcula-se que, no Brasil, 2 mil palavras sofrerão alterações, ou seja, 0,5% do total. De forma muito resumida, as mexidas são no trema (que deixa de existir), nos acentos (há várias alterações previstas) e no hífen (que também tem diversos casos específicos).

“É importante ressaltar também que o acordo não interfere na língua falada. Cada uma das nações de Língua Portuguesa mantém seus padrões de entonação e pronúncia. Essa diversidade de sotaques não será abalada. Por isso, a adaptação não deve ser tão difícil para quem escreve com frequência”, afirma Irandé Antunes, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e da Universidade Estadual do Ceará. Além disso, o acesso a materiais escritos é maior do que há algumas décadas e tanto os principais jornais do país (como O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo e Extra) quanto a maior editora de revistas (Abril) – já adotaram as normas da nova ortografia.


Quase 20 anos de discussão antes do consenso
Foram muitos anos – mais precisamente, 18 – de muito trabalho e discussão para chegar a um acordo que permitisse à Língua Portuguesa ter apenas uma grafia (era provavelmente o único idioma a ter duas normas oficiais). O principal objetivo das mudanças é mesmo econômico: facilitar a integração comercial entre as nações. Mas é claro que elas também abrem as portas para o intercâmbio científico e cultural, já que a comunicação fica muito mais fácil e caem os custos de produção e adaptação de material impresso. O português é a sexta língua mais usada do mundo, com 230 milhões de falantes (está atrás do mandarim, do inglês, do espanhol, do hindu e do árabe). “A circulação de livros entre os países pode proporcionar o maior contato com a cultura escrita”, aposta Godofredo de Oliveira Neto, presidente da Comissão da Língua Portuguesa, órgão ligado ao MEC responsável pela implementação do novo acordo ortográfico. “Num mundo formado por blocos, o lusófono pode ser mais um deles.”

As conversas para unificar o idioma começaram entre Portugal e Brasil em 1990. Desde então, diversas reuniões foram realizadas e os outros países que têm o português como seu idioma oficial passaram a participar do debate. Embora Portugal tenha tomado a iniciativa, o país foi um dos que mais resistiram às mudanças, pois a quantidade de alterações lá é bem maior do que aqui: cerca de 10 mil palavras. Para nossos vizinhos d’além-mar, acção, acto e baptismo passam a ser grafadas como no Brasil: ação, ato e batismo. 


Quer saber mais?
Contatos
Artur Gomes de Morais, agmorais@uol.com.br
Clécio Bunzen, clecio.bunzen@gmail.com
EMEF Olavo Pezzotti, R. Fradique Coutinho, 2200, 05416-002, São Paulo, SP, tel. (11) 3032-9908
Escola Móbile, R. Araguari, 167, 04514-040, São Paulo, SP, tel. (11) 5536-4402
Godofredo de Oliveira Neto, godolive@uol.com.br
Irandé Antunes, moraisantunes@uol.com.br
Kátia Lomba Bräkling, kbrak2006@gmail.com
OdilonSoares Leme, prof.odilon@uol.com.br
Ulisses Infante, ulissesinfante@gmail.com 

Internet
Em www.cplp.org e www.museulinguaportuguesa.org.br, artigos sobre ortografia.

 

DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE - ANIVERSÁRIO DO JACARÉ POIÓ

O Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado dia 5 de junho, é também o dia do aniversário do Jacaré Poió.
A data deve ser festejada durante todo o mês com atividades que lembrem a importância da preservação do meio ambiente e do desenvolvimento sustentável.
O analfabetismo ambiental precisa ser mudado através da transformação das consciências.
É um novo tempo que surge e as mudanças em curso estão requisitando novos agentes de transformação. Todos que habitamos este lindo planeta Terra precisamos nos especializar nas questões ecológicas, de forma prática, para que nossas ações façam a diferença num processo de engajamento em favor de um mundo melhor.
Não haverá um milagre!
Todos nós somos o milagre que fará acontecer uma sociedade mais justa e acolhedora.
O personagem Jacaré Poió, um contador de histórias, amigo das crianças, é o legítimo representante da brasilidade e de nossa diversidade cultural. Ele está, neste momento, convocando a garotada e os maiores de todas as idades para fazerem parte desses novos tempos. Aproveitemos a energia das crianças e dos jovens para a linda empreitada, sintonizados com o futuro que deixaremos para as novas gerações.
Vamos comemorar o aniversário do Jacaré Poió praticando ações cidadãs? Diga sim!
Esta é a sugestão que a equipe do Projeto Pedagógico Jacaré Poió envia para todos os queridos amigos das unidades, e da sede do Lar Fabiano de Cristo, desejando um dia muito feliz! Venha participar da construção de um mundo sustentável.
Parabéns, Jacaré Poió! Parabéns a todos que fazem parte dessa corrente do Bem.

Projetos de leitura crescem no país

Em dois anos, mais do que triplicou o número de iniciativas no Brasil que facilitam acesso da população ao livro

Eles sabem que metade da população adulta é analfabeta funcional, que os brasileiros não leem nem dois livros por ano e que os estudantes estão entre os piores do mundo em testes de leitura. Mesmo assim, contrariando uma realidade preocupante, uma série de pessoas sozinhas, organizações não-governamentais e mesmo municípios e estados estão multiplicando projetos de incentivo à leitura pelo país. Dados do Programa Nacional do Livro e Leitura (PNLL), dos Ministérios da Cultura e da Educação, mostram que o número de projetos cadastrados saltou de 162 em 2006 para quase 600 em 2008.

 

 
 
Lar Fabiano de Cristo Um Grão Salutar
Copyright © 2012 - Todos os Direitos Reservados ao Lar Fabiano de Cristo